quarta-feira, 8 de julho de 2009

Estudo Bíblico - Um casal a serviço de Deus


Na semana passada foi procurado pelo irmão Elias (União Masculina Missionária) para levar uma meditação a casa de um jovem casal recém chegado a igreja da qual sou membro. O que falar? Este foi o questionamento que de imediato veio a minha mente. Orando e lendo a bíblia pensei em vários temas: família, alegria, etc., mas nenhum tocava em meu coração. Nessa minha busca lembrei-me do casal Áquila e Priscila que foram grandes auxiliares do apóstolo Paulo. Quando iniciei a minha pesquisa logo sentir a direção de Deus para esse estudo. Rogo a Deus que ele fale a seu coração assim como falou ao meu.
Um casal a serviço de Deus


E DEPOIS disto partiu Paulo de Atenas, e chegou a Corinto. E, achando um certo judeu por nome Áqüila, natural do Ponto, que havia pouco tinha vindo da Itália, e Priscila, sua mulher (pois Cláudio tinha mandado que todos os judeus saíssem de Roma), ajuntou-se com eles, E, como era do mesmo ofício, ficou com eles, e trabalhava; pois tinham por ofício fazer tendas. Atos 18.1-3

1. O encontro com Deus.

A primeira informação que dispomos de Áquila e Priscila encontra-se no capítulo 18 do livro de Atos. O contexto histórico é muito rico. Paulo vivenciava a segunda viagem missionária e acabara de chegar a Coríntio vindo de Atenas. Áquila e Priscila já se encontravam na cidade de Coríntio, embora a bíblia não precise o fator tempo.

Ambos tinham muito em comum. Paulo era um judeu assim como o casal, de certa forma eram vítimas da intolerância religiosa (Áquila e Priscila havia sido expulsos de Roma pelo decreto do imperador Cláudio em 49 d.C.), estavam em deslocamento e exerciam a mesma profissão. Com tantas coisas em comum não era de estranhar a aproximação de Paulo do casal em questão. O ensino da palavra logo teve espaço no coração de Áquila e Priscila que por um ano e seis meses cuidaram do missionário em sua própria casa.

2. Um casal a serviço do reino

E, como era do mesmo ofício, ficou com eles, e trabalhava; pois tinham por ofício fazer tendas. E todos os sábados disputava na sinagoga, e convencia a judeus e gregos. [Atos 18.3-4]

O sustento de Paulo era conquistado duramente com a ajuda dos seus novos discípulos. No versículo quatro fica claro que após uma intensa semana de trabalho os irmãos se dirigiam ao templo onde Paulo anunciava a Cristo. Áquila e Priscila aprendiam atentamente seus ensinos. Juntos com o apóstolo foram moldados pelo fogo da oposição judaica que não se limitava apenas ao debate teológico, mas freqüentemente recorriam às ameaças e ao uso da influência política para alcançarem seus objetivos (v.12-13)

Eles podiam simplesmente abandonar Paulo e salvarem suas vidas de prováveis represarias de extremistas religiosos, mas não desertaram. Áquila e Priscila estavam ao lado de Paulo não por sua presença agradável, mas, pela sua mensagem libertadora. Nesse sentido puderam dar ao apostolo apoio e consolo em seus momentos difíceis.

“Mas, resistindo e blasfemando eles, sacudiu as vestes, e disse-lhes: O vosso sangue seja sobre a vossa cabeça; eu estou limpo, e desde agora parto para os gentios” Atos 18.6

Fico aqui pensando que após um dia de luta contra os inimigos da fé cristã o apostolo agora cansado toma o rumo da casa de Áquila e Priscila não com receio, ou constrangimento, mas com alegria e certeza que vai ser bem acolhido e descansar para um novo dia de trabalho. Aqui fica a reflexão: será que ao final de um dia de trabalho temos o mesmo sentimento de Paulo ao voltarmos para casa?

Na casa de Áquila e Priscila o apostolo era revigorado. Apesar da bíblia não entrar em detalhes sobre o que acontecia no interior daquela casa podemos inferi através das entrelinhas dos textos bíblicos.

Com certeza na casa de Áquila o apostolo se sentia amado.

a. Acompanham Paulo em sua viagem a Éfeso – Atos 18. 18-19.
b. Estavam com Paulo quando da sua prisão em Roma – 2 Timóteo 4.19.

Usufruía de hospitalidade e sustento.

a. Paulo passou um ano e meio com os irmãos em coríntio (v.11).
b. Reconhecimento de Paulo sobre o ministério de Áquila e Priscila – Rm. 16.3.

Gozava de cuidados, atenção e crédito.

a. Áquila e Priscila se transformaram em evangelistas – 1Co 16.19.

A casa de Áquila e Priscila era um lar de testemunho, sendo referência para toda comunidade em seu entorno. Nesse sentido temos o testemunho do próprio apóstolo.

3. Um casal semeador

E Paulo, ficando ainda ali muitos dias, despediu-se dos irmãos, e dali navegou para a Síria, e com ele Priscila e Áqüila, tendo rapado a cabeça em Cencréia, porque tinha voto. E chegou a Éfeso, e deixou-os ali; mas ele, entrando na sinagoga, disputava com os judeus. E, rogando-lhe eles que ficasse por mais algum tempo, não conveio nisso. Antes se despediu deles, dizendo: É-me de todo preciso celebrar a solenidade que vem em Jerusalém; mas querendo Deus, outra vez voltarei a vós. E partiu de Éfeso. [Atos 18. 18-21]

A saída de Paulo poderia ser uma ocasião para a paralisação espiritual de Áquila e Priscila. Afinal, “o líder estava distante” e as ameaças eram bem reais. Mas, não foi assim.

Em Atos 18. 26 lemos na palavra de Deus que o casal estava em plena atividade evangelizadora na sinagoga.

a. Quando Apolo falou ousadamente na sinagoga eles estavam lá para ouvi-los.
b. Perceberam problemas em sua doutrina (Atos 18.25)
c. Ensinaram Apolo o que haviam aprendido de Paulo (Atos 18.26).
d. Era um casal maravilhoso. Em todas as passagens bíblicas que lemos até aqui eles sempre aparecem juntos e isso é uma lição de vida para nós outros.
e. Não só pregou, mas também orientou espiritualmente Apolo ajudando a alcançar muitos outros para Cristo. Dessa forma tinham uma excelente visão de reino. Não eram míopes espirituais

“Querendo ele passar à Acaia, o animaram os irmãos, e escreveram aos discípulos que o recebessem; o qual, tendo chegado, aproveitou muito aos que pela graça criam.28 Porque com grande veemência, convencia publicamente os judeus, mostrando pelas Escrituras que Jesus era o Cristo”. Atos 18.27-28

Em fim, Áquila e Priscila são exemplos a ser seguido pela igreja de Deus. Eram servos do Senhor que sabiam usar seu trabalho como instrumento de evangelização (1 Co 16.3). Sabemos que viajavam com freqüência, pois o encontramos em Roma quando da carta de Paulo aquela igreja (Rm. 16.3) ou quando não mais em Roma quando da carta de Paulo a Timóteo (2 Timóteo 4.19). Estavam sempre juntos na evangelização, nas lutas que a igreja travava com seus opositores e na direção de Deus. No pouco que a bíblia fala desse casal se concluiu que realizaram o que Deus havia proposto para eles. Minha oração é que cada lar cristão possa cumprir aquilo a qual Deus espera de nós. Amém!

2 comentários:

  1. Olá!

    O site http://www.rabbi.com.br/ entrou em contagem regressiva para o seu lançamento! Dia 10 de agosto!
    E você já pode fazer parte deste projeto!


    Como Participar:

    Se você é blogueiro e quer participar da divulgação deste novo serviço do corpo de cristo, coloque o banner que fica na parte superior do site no link "gostou da ideia" em seu blog e nos avise através do e-mail

    contato@rabbi.com.br ou você pode dar um RT no twitter e o melhor é que o seu blog vai fazer parte do nosso blogs roll e concorrerá a brindes exclusivos!


    Um abraço

    Equipe rabbi

    ResponderExcluir
  2. Parabens.. pelo ensinamento, falou grandemente comigo, e é o que realmente estava buscando obrigado.

    Sandra

    ResponderExcluir

Comente o texto e ajude-nos a aperfeiçoá-los.