domingo, 29 de novembro de 2009

Comunhão uma proposta possível.

1 “PORTANTO, se há algum conforto em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma comunhão no Espírito, se alguns entranháveis afetos e compaixões, 2 Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa.3 Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. 4 Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. 5 De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,” Fp 2. 1-5

Toda a igreja cristã é chamada a comunhão, quer seja com o Deus criador ou principalmente entre seus membros. A orientação é bíblica (sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa.), contudo são os homens que deverão por ou não em prática esse principio bíblico.

Não há dúvidas que vivemos em um mundo cada vez mais egoísta, fechado em si mesmo, cheio de si mesmo. Palavras como compartilhar sentimentos, amor, ânimo, são pronunciadas a cada instante no seio da igreja, porém vivida por poucos. Elas são esquecidas propositalmente por muitos que “não ver graça nenhuma em se relacionar com seu irmão”.

Os motivos para isso são muitos:
a. Não quero me comprometer.
b. Não quero me envolver.
c. Não tenho tempo para isso.
d. Não são relevantes.
e. Não quero quebrar a minha cabeça com esse ou aquele.
f. Não representam meus interesses.
g. Não faz parte do meu grupo de relacionamento.
h. NÃO, NÃO, NÃO e NÃO.

Estou confortável porque me aborrecer? Hipócritas! Como ousa fazer da casa de Deus um território fechado. Quem lhes autorizou a ser juízes entre os filhos de Deus? Porque enche vosso coração de soberba satânica a ponto de desprezar aqueles que Cristo deu sua vida para libertá-los?

Não é assim que ensina a palavra. Na igreja do Senhor não deve haver particularismos, ou o chamado jeitinho brasileiro (puxar sempre a brasa para minha sardinha), mais deve prevalecer o coletivo, o bem comum, coisa que muitos hoje não entendem ou simplesmente ignoram.

“Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros”.

Se quisermos viver bem devemos trabalhar para que todos estejam bem. Essa é uma das máximas do mundo secular que tem seu apoio na palavra. A igreja vai bem como todos são satisfeitos em suas necessidades de:

a. Aceitação pessoal - Quando se sentem amadas.
b. Apoio espiritual.
c. Apoio material.
d. Quando suas opiniões são respeitadas, ouvidas, consideradas embora muitas vezes possam não ser praticáveis, mas cada um tem o direito de ter uma posição e expressa-la.

Jesus sabia ouvi as pessoas nunca as silenciavam, deixava expressaram suas opiniões qualquer que fosse mesmo contrária ao seu ponto de vista. Como também nunca negou orientar a quem desejava verdadeiramente orientação.

A comunhão é essencial a vida cristã e a igreja do Senhor. Só por meio da comunhão é que a expansão do reino de Deus na terra será possível. A comunhão causa alegria a Deus e no caso de Filipenses 2.1-5, ao próprio apostolo Paulo.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Protesto de professores da Rede Municipal de Natal

Nessa quinta (19/11/09)os professores da Rede Municipal de Natal saíram as ruas da Cidade Alta para protestar contra a quebra do acordo salarial celebrado entre prefeitura e sindicato dos professores no ano de 2008. É uma pena que esse tipo de ação inevitavelmente tenha que se repetir diante da falta de vontade política dos nossos governantes.
Professor trabalha diretamente com a formação das novas gerações. A falta de compromisso com essa categoria é falta de compromisso com o futuro. Que o grande Deus ilumine a mente dos nossos governantes.

Meu amor

O meu amor tem um olhar
Que me despe o corpo inteiro
Aos seus olhos sou cativo
Ao seu lado tenho sonhos

Ela sabe tocar meu coração
Ela sabe tocar meu corpo
Ela sabe dizer coisas boas

Meu amor é companheira
Meu amor é amante
Igual a ala nenhuma outra
É mulher, é amiga e irmã

Ela sabe tocar meu coração
Ela sabe tocar meu corpo
Ela sabe dizer coisas boas

Meu amor é como o sol matutino
Que bem cedo anuncia o bom dia
Seu largo sorriso me encanta
Deixa-me desejando mais

Ela sabe tocar meu coração
Ela sabe tocar meu corpo
Ela sabe dizer coisas boas

O meu amor tem um olhar
Ela sabe tocar meu coração
Seu largo sorriso me encanta
É mulher, é amiga e irmã

Meu amor...

Conhecendo nosso espaço - Parte 01



Conhecendo Nosso Espaço foi um projeto de história desenvolvido na Escola Municipal Pref. Mário Eugênio Lira, Natal/RN, no ano de 2008. Esse trabalho foi feito em parceria com os professores de história (Jerônimo), geografia (Weverton) e Matemática (Marta). Nossa proposta era possibilitar ao educando um olhar diferente sobre seu próprio espaço comunitário. Procuramos destacar as potencialidades e problemas do Bairro Dix Sept Rosado.

Prof. Jerônimo Viana de M. Alves
Escola Municipal Pref. Mário Eugênio Lira, Escola Estadual Newton Braga e Colégio Bereiano.
Natal/ RN

Conhecendo nosso espaço - Parte 02



Conhecendo Nosso Espaço foi um projeto de história desenvolvido na Escola Municipal Pref. Mário Eugênio Lira, Natal/RN, no ano de 2008. Esse trabalho foi feito em parceria com os professores de história (Jerônimo), geografia (Weverton) e Matemática (Marta). Nossa proposta era possibilitar ao educando um olhar diferente sobre seu próprio espaço comunitário. Procuramos destacar as potencialidades e problemas do Bairro Dix Sept Rosado.

Prof. Jerônimo Viana de M. Alves
Escola Municipal Pref. Mário Eugênio Lira, Escola Estadual Newton Braga e Colégio Bereiano.
Natal/ RN

Conhecendo nosso espaço - Parte 03



Conhecendo Nosso Espaço foi um projeto de história desenvolvido na Escola Municipal Pref. Mário Eugênio Lira, Natal/RN, no ano de 2008. Esse trabalho foi feito em parceria com os professores de história (Jerônimo), geografia (Weverton) e Matemática (Marta). Nossa proposta era possibilitar ao educando um olhar diferente sobre seu próprio espaço comunitário. Procuramos destacar as potencialidades e problemas do Bairro Dix Sept Rosado.

Prof. Jerônimo Viana de M. Alves
Escola Municipal Pref. Mário Eugênio Lira,Colégio Bereiano e Escola Estadual Newton Braga de Farias.
Natal/ RN

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Andy Williams - Moon River (1961)

Alma americana

Guerreiros irmãos que dormem em sono profundo
Desperta dos braços dos deuses da ingenuidade
Sacode dos ombros a triste mortalha
Canta de novo as canções de outrora

Exalta a liberdade, faz renascer a força
Dança nas tabas as velhas modas de guerra
Pois o inimigo lhe espreita a vida
Rir da sua dor e alegra-se na sua morte

Hoje é o dia e está é a hora
Ao campo, todos devemos marchar
Sem receios da morte, sem medo da vida
Pois em prisões não podemos mais está

O que temos a perder a não ser as nossas próprias cadeias
Que preço vale a nossa dignidade?
A morte é antes de tudo liberdade
O nosso corpo instrumento de vitória

Se por ventura formos tragados em meio a luta
Se for este o desejo do Deus supremo e forte
Que nossos corpos sejam monumentos à liberdade
Deixaremos a vida e entraremos para a História

Jerônimo Viana M. Alves

Natal/RN

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

sábado, 14 de novembro de 2009

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Game em sala de aula

Game em Sala de Aula
Este instrumento tem por objetivo associar o prazer e a interatividade do game a dinâmica da sala de aula, bem como aprofundar o conhecimento do aluno sobre o tema proposto. Como ferramenta de estudo é de fácil compreensão e aplicabilidade por parte de professores e alunos, atendendo perfeitamente aos avanços tecnológicos que encantam os nossos jovens e facilitam a vida dos mestres.
Outro aspecto deste instrumento diz respeito ao resgate do prazer no fazer pedagógico às vezes submetido exclusivamente ao mundo das letras e na tradicional forma da ministração de conteúdos.

Game em sala de aula



Projeto desenvolvido na Escola Municipal Mário Lira - Natal/RN durante o mês de novembro de 2009 pelo professor Jerônimo.

Anjos

Então olhei e ouvi a voz de muitos anjos, milhares de milhares e milhões de milhões. Eles rodeavam o trono, bem como os seres viventes e os anciões, e cantavam em alta voz. “Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor”.

Anjos são seres espirituais criados com juízo moral e alta inteligência, mas sem corpos físicos. Os anjos não seres pré-existentes como Deus, mas foram criados por Deus. Em Ne 9.6, temos a seguinte palavra:

“Só tu és Senhor; tu fizeste o céu, o céu dos céus, e todo o seu exército, a terra e tudo quanto nela há, os mares e tudo quanto neles há, e tu os guardas com vida a todos; e o exército dos céus te adora”.

Paulo em Cl 1.16, nos diz que Deus criou todas as coisas “visíveis e invisíveis” por meio de Jesus Cristo, e a seguir inclui especificamente o mundo angélico.

Os anjos exercem juízo moral, alguns deles pecaram e caíram de seu estado original (2 Pe 2.4; Jd 6). São dotados de grande inteligência. Nos diálogos e cantos descritos na Bíblia fica clara essa condição (Mt 28.5; At 12.6-11; Ap 4.11; 5.11).

Os anjos não possuem corpos como nós, porque são espíritos, portanto não podem ser visto, a menos que Deus permita (Nm 22.31; 2R 6.17; Lc 2.13). Deus ao criar os anjos determinou que deveriam desempenhar algumas funções como de nos guardar e proteger (Sl 34.7; 91.11; Hb 1.14), mas paralelo a esse papel eles tem prazer em se juntar conosco quando louvamos a Deus – Hb 12.22. Isso é maravilhoso!

A bíblia direta ou indiretamente nos fala um pouco deste mundo angélico. Por exemplo, ela nos mostra que existem pelo menos três tipos de anjos:

a. Querubins – Entre algumas de suas funções reveladas são responsáveis pela guarda da entrada do Jardim do Edém (Gn 3.24), bem como servem diretamente ao próprio Deus (Sl 18.10; Ez 10.1-20).
b. Serafins – Esses seres celestiais constantemente adoram ao Senhor (Isaias 6. 2-7).
c. Seres viventes – São diversas espécies de seres viventes descrito por Ezequiel e no livro de Apocalipse (Ez 1.5-14; Ap 4.6-8.). Segundo os textos bíblicos sua aparência é de animais um leão, um boi, um homem, uma águia, são os representantes mais poderosos da criação de Deus (animais selvagens, domesticados, seres humanos e pássaros). Eles adoram a Deus continuamente (Ap 4.8).

A posição que cada um ocupa no universo celestial também é indicada pela bíblia.
Arcanjo Miguel (Judas 9). Arcanjo aparentemente é um título hierárquico. Em Daniel 10.31, Miguel é chamado de um dos príncipes supremos (Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia.). líder dos exércitos do céu (Ap 12.7,8 - 7 - “E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos; Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus.). Um nota importante: A bíblia não nos fala que Miguel é o único arcanjo de Deus ou se existem outros.

sábado, 7 de novembro de 2009

Ilusão

É chã, é terra, é vida, é lida um esforço vão em busca de um amor não correspondido
Parece um desastre é puro desenlace fruto de uma paixão sem maiores conseqüências
Penso que o desfrutar do gosto não é para qualquer um, mas o desgosto esse sim

Por que vejo nos rostos de muitos a presunção do saboreio, a certeza do já degustado
Sinto na displicência dos poderosos, daqueles que tudo lhes vem às mãos, um melhor fim
Esses não precisam de esforço, pois apadrinhado pelo destino são alvos do amor

Quanto ao meu caro às coisas não são assim tão claras, há de existir um esforço maior
Se não vai ter que se contentar com o pouco, se virar com o trivial e ser feliz assim mesmo
Sei que é brutal, mas essa é a realidade daqueles que sem pedigree perecem no nada

Oh! Ilusão dantesca, marginal, fugaz, cretina que atormenta a alma e tenta burlar a realidade
Quem lhes permitiu subsistir nas entranhas de um coração irrequieto e infeliz?
Porque teima em trazer ilusão quando só tens a chã e nada mais para sucumbir?

Será que haverá esperança para um poço seco, vida no corpo morto de um amor abatido?
Se na realidade tudo contradiz a lógica das emoções, a quebra do olhar, o afago mais sincero
Sem duvida talvez não, mas quem pode impedir o sonho? Quem pode negar a ilusão?

Jerônimo Viana
Natal/RN

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Falta de Inspiração

Sem inspiração invisto, multiplico o esforço em busca de algo consistente que traga alento ao meu coração. Tenho necessidade de escrever, mas palavras não chegam as minhas mãos, expressões desaparecem ou se apresentam sem sentido, desconexo. Por isso sofro, por isso morro, pois quero me expressar, contudo, há uma nuvem entre os sentidos e a lógica de maneira que um não se comunica com o outro e enquanto isto acontece sobra dúvidas, incertezas, faltam conteúdo. Mas insisto.
Repasso diante dos meus olhos sensações, sonhos numa tentativa desesperada de romper o cerco do nada, da falta de improviso do pouco trato com as letras e da pouca habilidade em contar o que se passa no coração.
Meu Deus me ajuda com essa falta de inspiração!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Luta Espiritual: Carta de Judas

Na parte inicial do livro de Judas o autor se identifica como irmão de Tiago e provavelmente irmão de Jesus. Em seu livro Judas se coloca frontalmente contra falsos pregadores que tumultuam a igreja do Senhor com suas mentiras e práticas infames. No discorrer de sua carta Judas nos apresenta detalhadamente a atividade desses oportunista no seio da igreja do Senhor.

a) Eles transformam em libertinagem a graça de Deus (5).
b) Negam Jesus Cristo (5).
c) Contaminam a carne (8).
d) Rejeitam o governo e difamam autoridades superiores (8).
e) Difamam tudo que não conhecem como brutos sem razão (8).
f) São pessoas cheias de ganância como Balaão e a revolta de Corá (11).
g) Estão no seio da Igreja, se aproveitam dos crentes (12).
h) São pastores de si mesmo (12).
i) Pessoas desorientadas, sem frutos, vazios, não tem condições de abençoar ninguém, não tem raízes (12).
j) São violentos, pessoas de tudo condenadas por seus atos (13).
k) São murmuradores, descontentes, andando segundo suas paixões, arrogantes, aduladores dos outros, por motivos interesseiros (16).
l) Escarnecedores, promotores de divisões, sensuais, pessoas desprovidas de Espírito de Deus (20).

No ataque direto aos inimigos da fé Judas:

• orienta os irmãos a batalharem pela fé (3), visto que Deus não valoriza atitudes tímidas, inseguras em relação a fé. O crente não deve ser relaxado, mas ativo na fé. Os que não tiveram fé durante a jornada do Êxodo foram deixados para trás no deserto (Nm 14.29-30,35; 1co 10.1,5).

• Orienta os irmãos a tomarem cuidado com falsos lideres para que a igreja não sofra com suas ações espúrias (17-18).

• Estimula os irmãos a buscarem a santificação, a praticar a oração, do amor verdadeiro em cristo Jesus (20).

• Orienta os irmãos a esperarem na misericórdia do nosso Senhor Jesus Cristo (21).

• Estimula os irmãos a se compadecerem daqueles que estão sendo levados pela dúvida ou que tem uma fé fraca. Aconselha a resgatarem esses irmãos para o caminho da salvação e de uma fé saudável.

A carta de Judas é um alerta a Igreja. Satanás não tira férias e pode fazer um estardalhaço no meio dos irmãos se houver desatenção a sã doutrina. É importantíssimo o estudo exaustivo da palavra, o exercício da oração e a pratica do amor que são elementos que compõe o processo de santificação do servo de Deus.
Que o grande Deus abençoe a todos.

Jerônimo Viana
Ig. Batista do Alecrim

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Amor

Numa tarde fria do sertão caminhava o
poeta a pensar, queria urgentemente entender
que palavras poderia arranjar
para definir com muita beleza a essência do amor.
Pensou no mar, nas nuvens e no céu.
Procurou entre os homens, pois queria encontrar,
uma palavra bonita que pudesse
com esforço definir a grandeza do amor,
do seu amor.
Palavras bonitas não encontrou, pois definição
não há. O amor por si mesmo se
explica e com sentimento é que se pode
provar

Jerônimo Viana M. Alves
Igreja Batista do Alecrim
Natal/RN

A morte

Recentemente folheando a revista National Geographic (2009, p.10-11), me deparei com uma imagem bem significativa sobre o tema morte. A foto apresentava a seguinte legenda: “No centro de Resgate de chipanzés Sanaga-yong, um bando de residente em luto observa Dorothy – fêmea querida morta com quase 50 anos por insuficiência cardíaca – ser levada ao sepultamento.”

Como a morte é impactante para os seres vivos. Na verdade a morte não pertencia ao mundo criado por Deus em sua origem. Ela como a bíblia nos fala foi fruto do pecado (Rm5. 12). Vejamos:

“Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.”

Foi por meio da desobediência do homem que a morte passou como herança maldita a toda espécie e por que não dizer a todos integrantes da fauna e flora do nosso planeta. O apostolo Paulo tratando deste tema afirma:

“Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.”

Tanto a natureza como os homens atingidos pelo pecado esperam a redenção que provém de Cristo. O homem foi criado sem tomar conhecimento da morte, agora que ela faz parte do nosso dia-a-dia fica difícil aceitá-la. Daí, não me surpreender com a imagem dos chipanzés se apertando ao lado de uma cerca para se despedir de sua querida Dorothy. Essa dor também é nossa.

Se a palavra de Deus se limitasse apenas a explicar como a morte passou a fazer parte da natureza humana sem apresentar uma solução para esse problema, estaríamos em grandes dificuldades. Contudo, ela vai adiante e mostra uma saída.

A bíblia nos fala que após a morte o corpo volta ao pó do qual foi criado e o espírito a Deus (Gn 3.19), bem como nos ensina que Jesus Cristo morreu para destruir o poder da morte (Hb 2.9; Ap 1.18), para reconciliar os pecadores com Deus (Rm 5.10) e garantir para eles a ressurreição do corpo (1 Co 15). Para que essa verdade seja uma realidade em nossa vida é necessário crer no Senhor para alcançar a salvação eterna (Jo 3.16-18; Ap 2.11; 20.6).

E você meu irmão da distância, está preparado para a realidade da morte? Caso responda não ou tenha dúvida leia os versos abaixo e tome uma atitude. Aceite a Jesus como seu Senhor e salvador e sinta a paz de Deus inundar o teu coração.

Gêneses 3.19

No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.

Hebreus 2.9

Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.

Apocalipse 1.18

E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.

Rm 5.10

Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.

João 3.16-18; Apocalipse 2.11; 20.6

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte.

Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.

domingo, 1 de novembro de 2009

Trabalhando com projetos

Esse projeto pode ser adotado por qualquer igreja que almeje se envolver com as questões ambientais. Preservar a natureza é uma obrigação cristã.

A NATUREZA CRIADA: PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

JUSTIFICATIVA

É fato que a preservação do meio ambiente está diretamente voltada a questão da sobrevivência da espécie humana sobre o planeta terra. Neste sentido se faz necessário a conscientização de todos sobre as questões ambientais, bem como, promover atitudes que possam garantir o crescimento sustentável da nossa sociedade.
Nesse contexto os cristãos são chamados a dar sua contribuição ao debate sobre o meio ambiente e estar na vanguarda da luta pela vida. Reconhecemos que a educação é o melhor instrumento para alcançar esse objetivo e que o conhecimento liberta o homem das cadeias das circunstâncias.

Reconhecemos também que o homem é portador de uma identidade que é cultural, histórica e espacial e que para transformar o hoje deve conhecer o intrincado mundo de relacionamentos e interdependências que o cercam. Afinal não somos uma ilha, visto que fomos criados por Deus como seres sociais e como tal nos realizamos e podemos atuar, influenciar e contribuir para as mudanças que nossa comunidade e mundo necessitam.

Acreditamos que as grandes mudanças começam com pequenas ações e vemos nesse viés a possibilidade de cooperação pela preservação da natureza, luta essa que deve ser encampada por todos os homens de bom coração e conscientes da determinação divina de cuidarmos da natureza criada.

As formas de ações são diversas e quando bem orientadas estão ao alcance de todos. A luta pelo meio ambiente exige atitude que passam por consumidores engajados com a causa ambiental, homens e mulheres disposto a pensar no próximo e não só em seu conforto pessoal.

Pequenas ações, tais como economia de água e energia elétrica, tratamento do lixo caseiro e uma maior seletividade em nossos itens de consumo, certamente contribuirão de forma significativa para diminuir os danos sobre o meio ambiente.

Hoje, mais do que nunca, pensar ambientalmente correto é prestar um verdadeiro culto ao criador e demonstrar seu amor pela humanidade.

OBJETIVOS GERAIS

• Adotar posturas na escola, em casa e em sua comunidade que os levem a interações
construtivas, justas e ambientalmente sustentáveis.
• Perceber, em diversos fenômenos naturais, encadeamentos e relações de causa-efeito
que condicionam a vida no espaço (geográfico) e no tempo (histórico), utilizando
essa percepção para posicionar-se criticamente diante das condições ambientais de
seu meio.
• Perceber, apreciar e valorizar a diversidade natural e sociocultural, adotando
posturas de respeito aos diferentes aspectos e formas do patrimônio natural,
étnico e cultural.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

• Compreender a necessidade de preservar a natureza criada como um dever de todo
cristão.
• Perceber a relação entre qualidade de vida e um ambiente saudável.
• Valorizar o uso adequado dos recursos disponíveis.
• Contribuir para a conservação e a manutenção do ambiente mais imediato em que
Vive.

METODOLOGIA

A coleta de dados, a discussão em grupo, a montagem de um painel sobre a problemática do meio ambiente e divulgação das nossas conclusões a comunidade da I.B.A, são algumas ações que permeiam esse projeto.

RECURSOS

• Câmara fotográfica.
• Filmadora.
• Mural da IBA.
• Fotoblog da IBA.
• Comunidade do Orkut da IBA.

CRONOGRAMA

Dia Ações
----------------------------------
_______ Visita ao Parque das Dunas
_______ Visita ao Rio Potengi
_______ Conclusão do trabalho

----------------------------------

AVALIAÇÃO

A avaliação do projeto será feita através da montagem e apresentação do trabalho e da participação dos irmãos no desenvolvimento do mesmo.

BIBLIOGRAFIA

• Bíblia.