domingo, 8 de julho de 2018

A DIFICULDADE EM CONTINUAR A OBRA NA SÍRIA



Pastor Simon supervisiona três igrejas ao sul do país e compartilha sobre os impactos da crise econômica

Depois de sete anos de guerra, a Síria enfrenta uma crise financeira que afeta a população que permaneceu no país. O custo de vida alto faz com as pessoas não consigam comprar nem mesmo itens básicos de sobrevivência. Por isso, a ajuda emergencial é tão importante para os sírios. Em 2017, quase 200 mil pessoas receberam esse auxílio, que inclui cestas básicas, kits de higiene pessoal, cuidados médicos, remédios, roupas, cobertores, entre outros.

Esse é o caso do pastor Simon, que supervisiona três igrejas no sul da Síria. Com frequência ele ouve pessoas dizendo que o apoio da igreja, possível com a ajuda da Portas Abertas, faz uma grande diferença. Isso o motiva a continuar, apesar de suas filhas pedirem quase que todos os dias para deixarem a Síria. “Quando a crise começou, havia cerca de 900 famílias cristãs na cidade. Agora, temos apenas 310 que auxiliamos e as cestas básicas os ajudam a ficar”, explica o pastor. Por meio da sua doação, a Portas Abertas apoia o pastor Simon não apenas com alimentos, mas também na reconstrução de casas e igrejas.

Apesar de saber que tem um chamado e ver Deus agindo, o pastor compartilha sobre as dificuldades enfrentadas por ele e pela família. “A questão não é apenas a segurança, o nível de educação também caiu muito e já não temos bons médicos. A pressão tem aumentado para os pais. Minhas filhas dizem adeus para os amigos todos os dias e por isso também querem ir embora”, declarou. Ele afirma que Deus ainda não o instruiu a partir. “Quando encontro pessoas sofrendo vejo que minha presença faz diferença. Eles pedem para não os deixar aqui. Sei que se eu for, não terá ninguém para servi-los”, completa.

Uma questão de sobrevivência 

Você pode continuar ajudando os cristãos sírios a reconstruir o país e ter uma vida digna. Contribua para o programa de ajuda emergencial e apoie nossos irmãos nessa grande obra de restauração. Com a sua parceria, cristãos têm acesso a itens básicos, como comida, roupas e remédios. Ore pela paz na Síria, pelo fim dos combates e bombardeios. Interceda pelo governo, para que tome decisões certas que beneficiem a população e o futuro do país.


*Nomes alterados por segurança

sexta-feira, 6 de julho de 2018

O estresse e seu impacto em nosso relacionamento com Deus (Parte 1)

Artigo
Sharon Dickens
26 de Junho de 2018 - Vida Cristã

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mt 11.28-30).

Eu estava no palco palestrando em nosso evento “Weekender”, de repente percebi que eu não sabia o que deveria dizer. Felizmente todos pensaram que a longa pausa era proposital, mas os poucos na sala que me conheciam bem sabiam que algo estava acontecendo. Eu esqueci as palavras, perdi a linha de raciocínio e estava em silêncio entrando em pânico mental. Felizmente, eu tinha minhas anotações e li a página de modo rápido, encontrando o próximo tópico de minha palestra.

Essa não foi a primeira vez nos últimos tempos que meu cérebro não funcionou como deveria ou eu tinha esquecido de algo significativo. Os papéis duplos de diretora de operações e do ministério de mulheres eram demais. Eu estava sob pressão, tentando equilibrar vinte coisas ao mesmo tempo, confiar em Deus, manter a calma e liderar uma equipe enquanto continuamos a construir uma infraestrutura, servir nossas plantações de igrejas e a trabalhar no ministério de mulheres. Eu estava exausta, quase esgotada, completamente estressada e isso estava começando a ter um impacto físico sobre mim. Havia muito a fazer e pouquíssimo tempo.

Logo após isso, a melhor coisa que já aconteceu foi: Eu “lavei” meu iPhone na máquina de lavar roupas (estava no bolso do meu moletom). Não é a resposta normal se alegrar e agradecer a Deus nesses momentos, mas o dom de três semanas incomunicável foi uma bênção. Foi um bom descanso forçado. Até aquele momento eu não acho que realmente havia percebido quão cansada e estressada eu realmente estava.

Em um documentário da BBC chamado “The Truth about Stress” [A Verdade sobre o Estresse], a apresentadora Fiona Phillips afirmou que “a Organização Mundial de Saúde o declarou (o estresse) a epidemia de saúde do século XX”. No ano passado, o estresse foi responsável por metade de todos os dias de afastamento do trabalho por doenças.

“O estresse se manifesta como uma disfunção física, psicológica ou social, fazendo com que os indivíduos se sintam incapazes de preencher a lacuna das exigências ou expectativas colocadas sobre eles” — Health and Safety Executive

O que é estresse?
O estresse é uma parte inevitável da vida, mesmo na vida cristã. É claro que somos todos diferentes; o que estressa uma pessoa pode nem sequer preocupar outra. Meu pior cenário não inclui uma aranha enorme, peluda e feia, mas o que aumenta meu nível de estresse é falar em público. Meu ritmo cardíaco aumenta, meu cérebro trabalha mais rápido e fico agitada enquanto meu corpo responde ao estresse, inundando-o com substâncias e hormônios que são liberados para me ajudar a lidar com a situação.

O estresse tem sido frequentemente chamado de “resposta de fuga ou luta”. Trata-se de uma parte normal de nossa estrutura, e é algo bom, pois nos ajuda a ficar alertas ao perigo e poder responder rapidamente. Semelhante a um mecanismo de segurança. Deve ser uma coisa temporária; nós não devemos viver em um estado constante de perigo e estresse. Os estilos de vida que vivemos, o trabalho, as pressões e as exigências podem dar a entender que podemos estar continuamente em modo de “fuga ou luta”. Rapidamente nos sentimos oprimidos. O resultado é desequilíbrio, gerando problemas de saúde e outros prejuízos.

Você está estressado — desgastado?
O estresse se manifesta de várias maneiras. Você está sobrecarregado, irritável, irado, ansioso, temeroso, preocupado, encontrando dificuldades para se concentrar, tendo dificuldade em tomar decisões ou tendo muitas dores de cabeça? Você se sente constantemente cansado, tem tido problemas para dormir ou talvez tem evitado totalmente o contato com as pessoas e se isolado completamente? Esta não é uma lista exaustiva e qualquer pessoa que tenha se identificado deve procurar aconselhamento médico apropriado.

Talvez você esteja um pouco como eu: cansada e estressada, mas se arrastando. Você acorda de manhã e se pergunta como é possível se sentir mais cansada do que quando foi dormir? Você pode até tentar desacelerar, mas parece que não dá certo. Algo sempre fica no caminho: o celular, um e-mail, as crianças, as demandas do trabalho, as atividades domésticas. Recursos que deveriam nos ajudar e economizar tempo apenas aumentam a pressão, já que agora temos a possibilidade de fazer mais coisas: bancos on-line, agendas, e-mails, mensagens de voz e de textos, Twitter e Facebook. Tudo isso se infiltra em nossa vida. Se há algum tempo livre, nós apenas colocamos outra coisa no lugar. Isso descreve você?

Que impacto o estresse tem no seu relacionamento com Deus?
Ter um tempo com Deus é uma prioridade para você ou é outro item da lista, exigindo o seu tempo? Você o comprime em um espaço livre no seu dia? Você sabe o que quero dizer — de repente você desenvolve o hábito de fazer o seu “momento devocional” no carro enquanto ouve a Bíblia em áudio e ora sobre algumas coisas no caminho do trabalho. Você realmente não meditou na Palavra de Deus, mas marcou o item “devocional” na sua lista de afazeres. Quando se trata de passar tempo com Deus, o verdadeiro problema não é que tenhamos muita coisa acontecendo, mas que permitimos que essas coisas nos distraiam de passar um tempo significativo com ele. Essa é a dura realidade!

Continua na Parte 2.

Tradução: Camila Rebeca Teixeira.

Revisão: William Teixeira.

Original: Stressed to the Max: How Do You Know if You’re Too Stressed?

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Antigo mosaico pode revelar como seriam os rostos dos apóstolos Pedro e Paulo

Fotos do mosaico descoberto em Roma.
(Foto: Comissão Pontifícia de Arqueologia Sacra)
por Jarbas Aragão
Fonte: GospelPrime

Arqueólogos encontraram as mais antigas representações dos apóstolos Pedro e Paulo.  As imagens faziam parte de um mosaico nas pequenas catacumbas de Santa Tecla, localizada a uns 500 metros da Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma.


No mesmo local há cerca de uma década foram encontrados ossos de um homem que especialistas do Vaticano identificaram como de Paulo, que sabidamente morreu em Roma.

Os ícones estavam em um mural, a quatro metros de profundidade, num cubículo de uma antiga tumba. Na verdade, a existência deste cubículo é conhecida desde 1720, mas as imagens estavam ocultas por uma grossa camada de cal.

Com a aplicação de novas técnicas da arqueologia, principalmente o uso do laser, eles foram revelados ao mundo. Apresentados pelo presidente da Comissão Pontifícia de Arqueologia Sacra e do Pontifício Conselho para a Cultura, o cardeal Gianfranco Ravasi, acredita-se que as faces sejam a representação mais próxima das figuras bíblicas.

Mosaico com o possível rosto do apóstolo Pedro.
(Foto: Comissão Pontifícia de Arqueologia Sacra)
Ao contrário de muitos registros antigos, descobertos em igrejas no Oriente Médio, os desenhos dos 12 não são todos muito parecidos. Fabrizio Bisconti, professor de Arqueologia Cristã e Medieval da Universidade de Roma, explicou que após várias tentativas, o laser permitiu revelar os primeiros três ícones, que representariam Pedro, André e João.

Mosaico com o possível rosto do apóstolo Paulo.
(Foto: Comissão Pontifícia de Arqueologia Sacra)
Mais tarde foi revelado também o de Paulo. Fica claro como os primeiros cristãos conseguiram distinguir os rostos de cada um desses personagens. Com informações Aleteia.

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Cidade datada de 200 antes de Cristo descoberta na Catalunha

Um georradar descobriu a rede urbana de uma cidade abandonada cerca de 200 anos antes de Cristo, enterrada em Banyeres del Penedès, perto de Tarragona, na Catalunha, com uma superfície aproximada de 2,5 hectares.

A cidade foi descoberta no âmbito de um programa científico promovido pela Universidade de Barcelona (UB) e pelo 'Ayuntamiento' (Câmara) de Banyeres del Penedès, cujos primeiros resultados foram apresentados hoje no palacete do século XVIII Heretat Sabartés, em Banyeres, 500 metros a norte da descoberta.

Joan Sanmartí e Jaume Noguera, docentes da UB, e Maria Carmen Belarte, do Instituto Catalão de Arqueologia Clássica, lideraram o projeto que descobriu uma povoação de importância similar à de Ullastret, o maior núcleo dos iberos descoberto até agora na Catalunha.

Os arqueólogos explicaram que os resultados da prospeção geofísica, realizada pela empresa SOT Prospección Arqueológica, e dirigida por Roger Sala, "revelaram boa parte de uma cidade com uma estrutura viária bastante regular, formada por umas ruas aproximadamente paralelas e largas e cruzadas perpendicularmente por umas vias mais estreitas".

De momento, foram identificados cerca de 200 recintos, como praças, edifícios singulares, muralhas, torres e um grande fosso da que, aparentemente, foi a grande cidade da tribo ibérica dos cesetanos.

Os cesetanos viviam na zona que se estende entre o maciço de Garraf e de Balaguer e tinham a capital em Kesse, atual Tarragona.

Escavações nas décadas de 1980 e 1990 já apontavam para a eventual existência de uma grande cidade, que agora foi descoberta.

Os arqueólogos tinham garantido que a recolha de material cerâmico superficial e os anteriores trabalhos de escavação indicam que já existia um núcleo de povoação no século VI antes de Cristo, que durou até ao ano 200 antes de Cristo, quando foi abandonado devido à Segunda Guerra Púnica ou às revoltas indígenas imediatamente posteriores.

Fonte: Lusa

sábado, 30 de junho de 2018

Clipe Oficial da Campanha de Missões Nacionais 2017


EBD - Romanos capítulo 6 - O cristão e o pecado


Texto - Rm 6.
Texto Áureo – Rm 6.23

Introdução

No capitulo 5.12-21, o apostolo Paulo explicou a doutrina da identidade com Cristo. Diz o apostolo:
·         Em Adão entrou o pecado e a morte.
·         Em Cristo, o segundo Adão fomos libertados do pecado e da morte.

“Sobreveio a Lei, para que avultasse a ofensa; mas, onde abandou o pecado, superabundou a graça.” Romanos. 5.20

            A libertação em Cristo chegou para todos os homens, porém, muitos por ignorância desconhecem tal fato. As vezes por acomodação, por está acostumado ao pecado ou medo muitos não desfrutam da liberdade que só em Cristo alcançamos.

1.    O pecado e a graça

            Em Romanos 6.1-23, Paulo fala de santificação. Uma vez justificados somos chamados a viver em santidade. É neste mesmo sentido que o apostolo Pedro declara: “Porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.” (1Pe 1.16). Mas, porque a ênfase na santificação? É que só ela pode nos libertar do poder do pecado.

            É importante destacar que é possível um crente fiel pecar. Todos nós estamos sujeitos a cometer erros diante de Deus. A bíblia está repleta de exemplos: Pedro – Negou Cristo diante dos seus acusadores – Mateus 26. 70, 72, 74. Os cristãos de Corinto – 1Corintios 6. 9-11, e outrosO que Paulo procura explicar em todo o capítulo 6 desta carta é que este não é o estado natural de um cristão.

 “Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça seja mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos? Romanos 6.1-2

Nessa ocasião alguns liberais infiltrados na Igreja do Senhor advogava a tese do quanto pior, melhor, ou seja, quanto mais pecados cometessem o individuou maior seria a graça de Deus. Eles acreditavam que estavam ajudando ao Senhor uma vez que o testemunho do ex-alguma coisa iria impactar a sociedade quando da sua mudança de vida.
Aliado aos liberais tinhamos os judaizantes. Esses afirmavam que a doutrina da graça (salvação pela fé) abria precedente para o crente viver em pecado. Era exatamente contra essa incompreensão de Romanos 5.20, que Paulo afirmava: “De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós que para ele morremos?” (Romanos 6.2).  

O novo nascimento (Jo 3.3) pressupõe uma nova vida (2Co 5.17), Portanto, não somos mais escravos do pecado (Romanos 6.6). Uma vez liberto, liberto para sempre.

“Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos certamente mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor.” Romanos 6:10,11

Pecar X Viver em pecado

“Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências;” Romanos 6:12

            Em sua argumentação Paulo usa três verbos para destruir a má interpretação dos libertinos e judaizantes: Saber (Rm 6.6), considerar (Rm 6.11) e oferecer (Rm 6.12-14).

a.    Saber – Rm 6.6 – A fé em Cristo é fundamentada no entendimento. A ignorância não glorifica a Deus, nem gera crescimento espiritual.

Nós morremos para o pecado (6.2) – Não existe morto-vivo. Quando um individuo morre ninguém exige coisa alguma do falecido. Ele deixou de existir. Toda e qualquer cobrança paira sobre os vivos, não sobre um cadáver. Morrer libera o individuo dos compromissos terrenos.

·         Os judaizantes afirmavam que o crente persistia no pecado.
·         Paulo afirmava que morremos para o pecado.

“Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados. 1 Pedro 2:24


b.    Considerar – Rm 6.11 – Levar em consideração, calcular, estimar. O verbo grego para considerar é fazer escrituração comercial. É pura matemática, algo real, concreto.

·         Deus manda fazer a escrituração lançando tudo na conta da morte do velho homem.
·      É uma questão de fé que resulta em uma ação. Exemplo: O endosso de um cheque que pela fé se crer que tem fundo.
·      Deus não ordena que morramos para o pecado no sentido estático, de ser insensível ao pecado. Ele diz que estamos mortos para o pecado e vivos para Deus. Portanto, devemos agir como tal.

a. Essa condição não significa que não cometemos pecados. Habitamos em um corpo mortal.
b. Somos estimulados a não obedecer a seus desejos, e o Espirito Santo nos é concedido para que possamos subjugá-lo e controlá-lo.


c.    Devemos oferecer – 6. 12-14 – O saber que fui crucificado em Cristo (6.6) que morri em Cristo (6.11) deve me levar a oferecer meu corpo a Deus (6.12-14).

·         Não permita que o pecado domine seu corpo (6.12).
·         Não ofereçam os membros do seu corpo ao pecado (6.13a)
·         Ofereçam-se a Deus (6.13b).

Manter-se no erro indica que a pessoa está dando mais valor às paixões carnais em sua vida do que a uma vida de santidade e relacionamento com Deus.

Servos do pecado X servos da justiça

“Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues. E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça.” Romanos 6:16-18

O reinado da graça está baseado em dois fundamentos:

·           Batismo – Unidos a Cristo com a sua morte, ou seja, pelo que Cristo fez por nós.
·          Servidão a Deus pela conversão, - Submetemos a Deus em obediência.

Literalmente deixamos a condição de escravos do pecado para sermos escravos de Deus. Nota-se que o homem sempre será escravo de alguma coisa: ou do pecado ou de Deus. Na condição de escravos de Deus devemos apresentar o padrão de conduta que está nas escrituras que é o da santificação. Essa atitude não é um mero ato religioso, mas, relacional.
Devemos buscar acima de tudo manter uma ótima relação com Deus. Essa vontade pode ser claramente vista no testemunho de irmãos e irmãs que livres das drogas, da prostituição, da violência glorificam o nome de Deus entusiasticamente.

Nossa recompensa

“Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues. E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça.” Romanos 6:16-18

Precisamos ser canais de bênçãos (Mateus 5.16 – “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.”).

·         Se vivermos para Cristo a nossa recompensa será duradoura (22).
·         Renunciar ao pecado implica em vida eterna (23)

Dai a necessidade de pregarmos o evangelho para mostrar as pessoas do erro que estão cometendo ao se afastar de Deus.

Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor. Romanos 6.23


Bibliografia

LOPES, Hernandes Dias. Romanos: o evangelho segundo Paulo. São Paulo, Hagnos 2010.

sábado, 26 de maio de 2018

Saíra Isaque a meditar no campo, ao cair da tarde. (Gênesis 24.63)

Saíra Isaque a meditar no campo, ao cair da tarde. (Gênesis 24.63)
Isaque gastava tempo numa busca admirável. Se aqueles que gastam várias horas na companhia de pessoas ociosas, em leituras frívolas e passatempos inúteis, aprendessem sabedoria, descobririam que envolver-se na meditação é mais interessante do que envolver-se nas vaidades que agora se mostram tão atraentes para eles. Todos nós saberíamos mais, viveríamos mais próximos de Deus e cresceríamos mais profundamente na graça, se passássemos mais tempo a sós. A meditação extrai o verdadeiro alimento das informações que nossa mente obteve de outras fontes. Quando Jesus é o tema, a meditação se torna realmente agradável. Isaque encontrou Rebeca quando estava envolvido em meditações particulares. Muitos têm encontrado o seu mais Amado num momento assim.A escolha de Isaque por um lugar foi bastante admirável. No campo, temos inumeráveis assuntos sobre os quais podemos meditar. Desde o cedro ao hissopo, desde a águia que voa nas alturas ao gafanhoto chilreador, desde a expansão azul do céu à gota de orvalho, tudo está repleto de instrução. Quando os olhos da alma são abertos por Deus, tal ensino resplandece na mente com mais nitidez do que em livros impressos. Nossos quartos não se mostram tão sugestivos nem tão inspiradores como o campo. Não consideremos nada comum ou imundo, mas percebamos que todas as coisas criadas apontam Àquele que as fez; assim, o campo nos revela bastante o Senhor. A escolha de Isaque quanto à hora também foi sábia. O momento do pôr do sol, quando ele arrasta um véu sobre o dia, convém àquele repouso da alma, quando os cuidados terrenos entregam-se às alegrias da comunhão celeste. A glória do sol no poente nos causa admiração, e a solenidade da aproximação da noite desperta nosso temor. Se as atividades deste dia permitirem, será bom, querido leitor, você separar tempo para sair ao campo, à tardinha. Mas, se não for possível, o Senhor também está na cidade; Ele o encontrará em seu quarto ou na rua cheia de pessoas. Seu coração deve sair ao encontro dele.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Um Deus que se importa contigo.

Esdras 1: 2. "Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor Deus do céu me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que é em Judá. 3. Quem há entre vós de todo o seu povo (seja seu Deus com ele) suba para Jerusalém, que é em Judá, e edifique a casa do Senhor, Deus de Israel; ele é o Deus que habita em Jerusalém. 4. E todo remanescente, seja qual for o lugar em que é peregrino, seja ajudado pelos homens desse lugar com prata, com ouro, com bens e com animais, afora a oferta voluntária para a casa de Deus, que está em Jerusalém". - Bíblia JFA Offline
Quando Deus age é assim. Não existe limite para sua bondade, graça e misericórdia. Muitos dirão: onde está o milagre? Não é esta a política dos persas? Ao contrário dos demais povos eles sempre deram uma certa liberdade as nações submetidas? Eu lhes direi: a hora e o  momento deste decreto foi escolhido por Deus. Quatrocentos anos depois Jesus  Cristo andava pelas ruas de Jerusalém já reconstruída e com status de capital da nação judaica. O retorno seria doloroso, assim como foi no êxodo do Egito, assim como está sendo em nossos dias após o holocausto nazista. Não importa as circunstâncias nosso Deus é Senhor da história e nunca deixa seu povo na mão.
Você está passando por lutas? Saiba que o Deus que levou o imperador Ciro a libertar  o seu povo é o mesmo hoje e sempre. Confie em Deus, entregue sua vida a seus cuidados e faça parte da grande família cristã.

domingo, 22 de abril de 2018

Neemias: Quando focar na missão é uma questão de vida e morte

Hoje aprendi diversas lições acerca do trabalho de Deus na EBD. O personagem central do nosso estudo foi Neemias. Homem de Deus encarregado da reconstrução dos muros de Jerusalém nos dias de Artaxerxes. 

Com Neemias aprendi que devemos manter o foco naquilo que Deus nos incumbiu de fazer. Os muros de Jerusalém era sua meta de trabalho. Estavam em ruínas e precisavam ser fechados. Aqui podemos estabelecer uma relação entre as condições dos muros e a nossa vida espiritual. Jamais podemos deixar brechas para o inimigo adentrar em nossas vidas. Se faz necessário fechá-lo.

O texto bíblico nos informa que por três vezes Sambalate, Tobias e Gesem procuraram atemorizar  o povo de Israel e Neemias para que parassem a obra de reconstrução dos muros de Jerusalém, mas, a cada uma das tentativas Neemias reagiu com força, determinação e sabedoria dada por Deus. Vejamos:

1ª Tentativa - Sambalate chama Neemias para uma conversa no Vale de Ono (ficava a 43 Km de Jerusalém). Era uma região hostil, neutra e por ser uma área de fronteira era por demais perigosa. 
Neemias 6: 3. E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco? - Bíblia JFA Offline
  • Para que tentar a Deus se metendo em aperto e obrigando-o a retirá-lo da enrascada?
  • Neemias preferiu sair com sua reputação arranhada (certamente levou o nome de covarde, medroso...) do que arranhar a reputação de Deus.

2ª Tentativa - Sambalate mandou uma carta aberta para ser lida em público acusando Neemias de conspiração contra o Imperador Artaxerxes, visto que, tinha arregimentado profetas para proclamá-lo rei dos Judeus. Cem anos antes Ageu e Zacarias suscitou entre os Judeus a profecia messiânica. Portanto, é sobre essa aspiração de Israel que Sambalate monta seu fake News.

Neemias 6: 8. Então mandei dizer-lhe: De tudo o que dizes, coisa nenhuma sucedeu, mas tu mesmo o inventas. - Bíblia JFA Offline
  • Para que dá ouvido a calúnias que partem de um coração maligno. Havia uma obra a ser feita. Aqui temos o agravamento da opressão e Neemias orar a Deus que o tinha arregimentado para a obra.
Neemias 6: 9. Pois todos eles nos procuravam atemorizar, dizendo: As suas mãos hão de largar a obra, e não se efetuará. Mas agora, ó Deus, fortalece as minhas mãos. - Bíblia JFA Offline
3. Tentativa - Neemias vai a casa do sacerdote Semaías que havia se "fechado". E lá se depara com essa proposta maligna.
Neemias 6: 10. Fui à casa de Semaías, filho de Delaías, filho de Meetabel, que estava em recolhimento; e disse ele: Ajuntemo-nos na casa de Deus, dentro do templo, e fechemos as suas portas, pois virão matar-te; sim, de noite virão matar-te. - Bíblia JFA Offline
Por conhecer as escrituras Neemias sabe que não pode entrar no templo, visto que, não era sacerdote.
Números 18: 7. Mas tu e teus filhos contigo cumprireis o vosso sacerdócio no tocante a tudo o que é do altar, e a tudo o que está dentro do véu; nisso servireis. Eu vos dou o sacerdócio como dádiva ministerial, e o estranho que se chegar será morto. - Bíblia JFA Offline
Neemias não queria repetir o erro do rei Uzias (2Crônicas 26. 16-21).
Neemias 6: 13. Eles o subornaram para me atemorizar, a fim de que eu assim fizesse, e pecasse, para que tivessem de que me infamar, e assim vituperassem. - Bíblia JFA Offline
Assim, chega a conclusão que tal profecia não era de Deus. Para sua tristeza percebe que o sacerdote havia sido subornado por Sambalate e seus aliados.

Lições:
  • Neemias se recusou a ser causa de escândalo em Israel. Deus o chamara para uma obra específica
  • Ele mesmo como governador sabia dos seus limites.
  • Um falso profeta é descoberto não pela profecia que se cumpre ou deixa de se cumprir, mas, se o que afirma contrária ou não os ensinos de Deus (Deuteronômio 13.1-5). Deus não se contradiz. Caso Neemias tivesse entrado no templo seria punido pela Lei divina.

Será que outro governador levaria adiante a política empreendida por Neemias?

A Bíblia é o nosso livro de regra, fé e prática. Revelações, sonhos, pregações, livros, profetas não devem contrariá-la. Devemos ter cuidado com pregações e pregadores que travestidos de uma autoridade que não possui ensinam heresias ao povo de Deus.

Neemias conclui o capítulo 6 vitorioso, mas, sentindo os golpes recebidos dos inimigos. Esse é o preço a pago por sua  fidelidade ao Senhor. Ao invés de um grito de VENCEMOS! Ora a Deus:
Neemias 6: 14. Lembra-te, meu Deus, de Tobias e de Sambalate, conforme estas suas obras, e também da profetisa Noadias, e dos demais profetas que procuravam atemorizar-me. - Bíblia JFA Offline
Os inimigos foram impactados com a conclusão da obra.
Neemias 6: 15. Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco do mês de elul, em cinquenta e dois dias. 16. Quando todos os nossos inimigos souberam disso, todos os povos que havia em redor de nós temeram, e abateram-se muito em seu próprio conceito; porque reconheceram que por intervenção de nosso Deus é que fizemos esta obra. - Bíblia JFA Offline
Contudo, continuaram tentando intimidá-lo por meio de cartas na vã tentativa de pará-lo
Neemias 6: 17. Além disso, naqueles dias o nobres de Judá enviaram muitas cartas a Tobias, e as cartas de Tobias vinham para eles. 18. Pois muitos em Judá estavam ligados a ele por juramento, por ser ele genro de Secanias, filho de Ará, e por haver seu filho Joanã casado com a filha de Mesulão, filho de Berequias. 19. Também as boas ações dele contavam perante mim, e as minhas palavras transmitiam a ele. Tobias, pois, escrevia cartas para me atemorizar. - Bíblia JFA Offline
Tobias fazia um papel duplamente maligno. De um lado procurava ser agradável aos judeus e por outro trabalhava como aliado de Sambalate e Gesem. As cartas destinadas a Neemias definitivamente não eram amistosas.

Contudo, no livro de Romanos temos a seguinte verdade:
Romanos 8: 37. Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou. - Bíblia JFA Offline
Neemias prosseguiu a obra colocando as portas da cidade, estabelecendo seguranças segundo o coração de Deus (Neemias 7.1-4), fazendo o registro da genealogia dos que voltaram da Babilônia com Zorobabel (Neemias 7.5-63) por uma questão de direito de propriedade e pureza racial, visto que, 400 anos depois chegaria o descendente de Davi, o Messias de Deus: Jesus Cristo.

Neemias concluiu parte do seu trabalho, pois Deus estava com ele.
"E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco?" Neemias 6.3
Aprendemos com Neemias que: 
  • a obra de Deus exige de nós foco. Ela não pode ser feita relaxadamente  (Jeremias 48.10)
  • nunca devemos dá ouvido ou desanimar diante das calunias. Elas são fruto de um coração dominado por Satanás.
  • Deus é coerente com a sua palavra. Não devemos aceitar nada que venha contradizer o seu ensino. 
Aos amigos e irmãos de perto ou da distância apelo que leiam a Bíblia para apreender essa e outras lições da parte de Deus. 

Como é bom está no centro da vontade de Deus. Não importa as circunstancias a vitória é certa. Desejas também fazer pate desta família? Reconheça Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador e passe a desfrutar de uma nova vida em Cristo Jesus.