segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Salmo 23

Estudo Bíblico
Salmo 23

1. Contexto histórico

Existem pelo menos duas versões sobre a origem do salmo 23. São elas:

a. Tradição judaica - Davi teria escrito este Salmo quando estava cercado em um oásis, à noite, por tropas de um rei inimigo, daí o Salmo inserir tamanha confiança na Providência Divina contra os inimigos.

b. Teologos - O salmo foi produzido por Davi em sua época de pastor de ovelhas.

Expressões usadas no salmo que o identificam como de Davi e seu oficio de pastor:

• águas de descanso - pequenas lagoas onde as ovelhas bebem água.
• vara - usada para enfrentar e afugentar animais selvagens.
• cajado – usado para puxar as pernas das ovelhas quando se prendem ou içá-las quando caem.
• óleo – azeite usado para tratar os ferimentos das ovelhas.

Essas expressões denunciam a intimidade que o autor tinha com o pastoreio.

Outro aspecto a ser destacado neste salmo diz respeito às imagens poéticas que Davi aplica a pessoa de Deus:

a. Deus como Pastor – 23. 1- 4.
b. Deus como Anfitrião – 23.5

Tanto neste salmo como no salmo 27, o clima é de total confiança no AMOR e FIDELIDADE de Deus.

2. Minhas impressões ao ler o salmo.

“O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará”.
Sl 23.1

A abertura deste salmo causa um impacto espiritual inimaginável para quem o ler cuidadosamente, meditando em seus versos.

• Ele é direto.
• É uma declaração cabal da providência de Deus para com seus escolhidos.
• Seu autor não tem nenhuma duvida acerca do que está dizendo.
Aqui eu poderia listar uma série de coisas que passam em minha mente ao Ler-lo:
• O fato de Deus ser pastor passa a ideia de guia. Daquele que conhece o caminho, tem experiência e está disposto a ajudar.
• O fato de ser Deus pastor gera em meu coração segurança e isto é importante para minha vida. Sei que estou sendo cuidado mesmo no meio do sofrimento, de luta, mesmo quando não percebo.
• Deus aqui se assemelha a nossos pais no que diz respeito à PROVIDÊNCIA. O Pai celestial cuidar das minhas feridas (Mt 6.25,34)

“O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.” Fp 4.19

A ansiedade pelo dia de amanhã (trabalho, problemas emocionais, relacionamentos, etc) desaparece diante da constatação que temos um Deus que é senhor de hoje e do amanhã, um Deus de longe e de perto.

Porventura sou eu Deus de perto, diz o Senhor, e não também Deus de longe? Jer 23:23

Sei que o seu agir nem sempre é barulhento (raios, trovões, ventania devastadora (1 Reis 19. 1-19) embora muitas vezes faça barulho para nos chamar atenção sobre sua presença, principalmente naqueles momentos em que a nossa fé tende a diminuir e a nos esquecemos que Ele está do nosso lado.
Um pastor de ovelha certamente faz pouco barulho, é silencioso, observador, mas toma providência quando necessário. Ele tem os instrumentos para isto (vara, cajado e óleo) Sua voz provavelmente é usada em situações extremas (orientação, alerta, chamamento...), mas não de forma continua. O pastor definitivamente não é um tagarela.
A segunda parte do verso 1 é simplesmente estrondoso, explosivo, é maravilhoso e demonstra muito bem as intenções de Deus sobre seus amados (NADA ME FALTARÁ). Essa palavra soa aos meus ouvidos como música e da melhor qualidade.
a. Eu não estou só!
b. Meu Pai cuida das minhas emoções da minha alma.
c. Tenho ao meu dispor todo seu amor, carinho e atenção.
d. Sei que posso todas as coisas NAQUELE que me FORTALECE (Fp 4.13).
e. Sei também que aquilo pelo qual luto é possível, alcançável.
f. Que suas bênçãos não si limitam apenas as coisas materiais, mas a todas as dimensões da vida humana e que todas elas estão ao meu alcance, desde que não venha a ser infiel ao meu Pai celestial.
g. Nada tenho falta, pois a principio eu tenho o Senhor comigo E ISTO BASTA (.

“E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.” 2Co 12.9

A bíblia diz que Deus não pode mentir, portanto, devemos está certo da sua providência para nossa vida.
“Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos;” Tit 1:2
Nos versos 3-4, Davi continua falando da segurança de estarmos nos braços do Senhor.

2 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.
3 Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.
4 Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

Várias providências do Deus Pastor são enumeradas nesses versos. Notem os irmãos que nenhuma ação descrita nos versos 3-4, é de iniciativa das ovelhas.

Essas aliais possuem características bem especificas, vejamos:

Eram animais limpos - Sua carne e leite eram consumidos pelos israelenses 1Sm 14.32 25.18; 2Sm 17.29; 1Rs 4.23; 1Co 9.7
Sua pele era usada p/ fazer roupas e couro - Hb 11.37; Zc 13.4; Mt 7.15; Êx 26.14
Sua lã servia de moeda - 2Rs 3.4; Is 16.1.
Seus chifres serviam para fazer frascos e trombetas - Js 6.4; 1Sm 16.1.

• Servia para sacrifícios - Êx 20.24; Jo 2.14; Nm 22.40.
• Holocausto - Lv 1.10.
• Vitima pelo pecado do povo - Lv 4.32
• Oferta pelo pecado de transgressão - Lv 5.15; 6.6.
• Sacrifício pacífico - Lv 22.21

Animal dócil - Sm 12.3; Jô 10.3,4.
Meigo e submisso - Is 53.7; Jr 11.19.
Indefeso - Mq 5.8; Mt 10.16.
Dependente - Nm 27.27; Ez 34.5.

É interessante a imagem que Deus escolheu para tipificar seu povo: ovelhas. O que temos sido na casa de Deus? LOBOS, RAPOSA, AGUIA (...). Deus só trata com ovelhas.

Em minha pesquisa descobri que o deserto da Judéia como todo o sul do país e especialmente o planalto de Moabe existia pastagens em abundância (Nm 32.1; Jz 5.1; 25.2) assim como nas demais regiões vizinhas (Gn 29.2; Jô 1.3; 1Cr 5. 20,21).

Nessas pastagens devido o calor e a falta de água corrente, os pastores tinham de conduzir as ovelhas para junto dos poços para dar-lhes de beber.

A lidar do pastor tinha inicio bem cedo (4 da madrugada) e quando o sol já apertava vinha o cansaço das ovelhas, daí a necessidade de recolhê-la debaixo de uma arvore frondosa onde podiam descansar.

Para o crente este descanso implica em estar a sós com Deus para ouvir o que ele tem a falar. Irmãos não se deixem adoecer para poder ter esse tempo com Deus. Crie este tempo. A ovelha rumina, o homem reflete, avalia, analisa e Deus mostra o caminho.

A palavra de Deus nos fala que o Senhor não nega sabedoria a seus servos

Tia 1:5 - E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada

Na história de Israel vemos Deus trabalhando o seu povo alternando momentos de tensão, livramento e reflexão. Na caminhada do êxodo essa seqüência encontra-se presente:


a. Travessia do mar vermelho – Êxodo 15.22.
b. As águas amargas de Mara – êxodo 15.27.
c. Marcha de Israel pelo deserto - Numero 10. 35-36.
d. A paixão de Cristo.

Esses ensinos estão a nossa disposição. Basta lançarmos mão dele. Para isto acontecer é preciso atitude.

2 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.

Qual dos irmãos aqui presente seria capaz de nadar com um pesado casaco de lã? As ovelhas não possui essa capacidade de reflexão, mas por instinto sabem que não dar certo. É por esta razão que preferem as águas tranqüilas.
O pastor conhece o medo que as ovelhas têm de águas agitadas e não faz pouco caso delas. Na relação de Jesus com os homens ele demonstrou ira, mas jamais menosprezo pelo homem. E nós?

Deus jamais exigirá do irmão aquilo que você não pode dar-lhes. Ele respeita nossas limitações, nós é que muitas vezes não temos noção delas e adoecemos.

3 Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.

Nos pastos verdejantes e nas águas tranqüilas é que Deus trata da nossa alma. O poeta afirma: “Refrigera a minha alma ou restaura a minha alma”.

Quantos já perderam o gosto pela vida, pelo casamento, igreja. As feridas da alma são muitas, algumas carregadas de sentimentos de culpas, mas todas podem ser tratadas rapidamente desde que a amargura, autopiedade ou ressentimentos não impeçam a ação de Deus.

Davi confessa o seu pecado (Sl 51), busca a face de Deus e é acolhido. A restauração não se dar em meio à agitação, mas nos verdejantes pastos do Senhor e próximos as águas tranqüilas.
A preparação da alma precede o guia-me pela vereda da justiça. Pois só podem acompanhar o Deus pastor aqueles que se submetem a sua orientação. Não caminho só, Ele nos guia.

As veredas não são fáceis, assim como a vida cristã. Mas o Deus pastor não permite perdas, Ele estar constantemente a nos orientar (a nuvem no êxodo). Sua motivação é o amor (João 3.16).

A vereda de Deus é clara até um lunático não se perderá nela.

Isa 35:8 - E ali haverá uma estrada, um caminho que se chamará o caminho santo; o imundo não passará por ele, mas será para os remidos. Os caminhantes, até mesmo os loucos, nele não errarão.

Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Sl 23. 5

É por isso mesmo que não existe medo mesmo quando os servos de Deus andam pelo vale da sombra da morte. Nesse vale de dor a presença de Deus é marcada por dois instrumentos: Vara (proteção) e Cajado (recolocar a ovelha de volta a vereda).
É importante para quem está enfrentando o seu vale particular parar de se preocupar com o dia de amanhã e experimentar a presença do Deus pastor.

“Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda.” Sl 23.5

Lembrando do seu trabalho de pastor, Davi sabia que antes mesmo que as ovelhas pastassem era necessário limpar o terreno para evitar qualquer dano. Como crentes devemos também ter essa preocupação em relação aos nossos filhos. O mundo jaz no maligno.

O convite para uma refeição era não somente um gesto de hospitalidade, mas também um símbolo de solidariedade e de aliança (Gn 18.5-8; 19.2-3; Sl 41.9; Lc 22.17-21). A imagem que temos aqui é de um homem que foi acolhido pelo Senhor e escapa dos seus inimigos a porta. Eles sabiam que sua vítima estava sobre proteção do Senhor.

Unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda. Ao voltar do campo o pastor verificava cada ovelha e tratava individualmente delas.

“A este o porteiro abre; e as ovelhas ouvem a sua voz; e ele chama pelo nome as suas ovelhas, e as conduz para fora.” Jo 10.3
“O Senhor edifica Jerusalém, congrega os dispersos de Israel; sara os quebrantados de coração, e cura-lhes as feridas; conta o número das estrelas, chamando-as a todas pelos seus nomes.” Salmos 147.2,3,4.

Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

Finalizando o salmo 23 Davi demonstra:

a. Uma visão positiva da vida. Essa deve ser a mesma visão do cristão (Sl 118.24 - Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.).

b. A certeza de um retorno seguro para a casa de Deus (Jo 11.25 -26 - Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; 26 e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?).

Estamos cultuando esses mesmos princípios? Que Deus nos abençoe e nos faça crumprí-los.

Amém!

Um comentário:

  1. Pastor Claudio Mendes10 de julho de 2012 15:03

    Muito boa pesquisa...que Deus continue iluminando sua mente....Deus te abençoe.

    ResponderExcluir

Comente o texto e ajude-nos a aperfeiçoá-los.